COP recebe ciclismo reconhecendo época histórica da modalidade



COP recebe ciclismo reconhecendo época histórica da modalidade

O Comité Olímpico de Portugal (COP) reconheceu hoje o sucesso desportivo do ciclismo, recebendo os responsáveis da modalidade, no culminar de uma época em que as seleções nacionais conquistaram 16 medalhas em Europeus e Mundiais e em que o ciclismo nacional brilhou a grande altura na Volta a Itália.

O presidente do COP, José Manuel Constantino foi o anfitrião de uma cerimónia em que o ciclismo esteve representado pelo presidente da Federação, Delmino Pereira, pelo selecionador nacional de estrada, José Poeira, e pelos ciclistas Daniela Campos, João Almeida e Rúben Guerreiro.

“Os vossos triunfos têm um sabor especial para vós, mas muitas vezes não sei se imaginam o significado que têm para o País. Não sei se tiveste consciência [dirigindo-se a João Almeida], mas entusiasmaste o país de norte a sul. Mesmo quando perdeste a camisola rosa não arranjaste desculpas e não desististe de lutar. Foi um grande exemplo. Não basta ter talento, é preciso focarmo-nos na nossa capacidade de superação”, salientou José Manuel Constantino, que também se dirigiu a Rúben Guerreiro: “Foste alguém que, para além de ter o seu próprio objetivo, também estava a torcer pelo João. Tiveste um feito extraordinário naquelas montanhas difíceis. Foste o melhor dos melhores”.

O presidente do COP também destacou os sucessos na pista. “Há 11 anos não tínhamos pista, que se deve a este senhor [apontando para Artur Lopes, antigo presidente da FPC e atual vice-presidente da Comissão Executiva do COP] e ao presidente da Câmara da altura. Desde então, temos 40 pódios, graças ao trabalho da Federação, de um selecionador que passa despercebido - o Gabriel Mendes - e ao talento dos nossos ciclistas. Isto é um caso de estudo, em tão pouco tempo ter estes resultados”, concluiu o dirigente.

Delmino Pereira abordou a ligação entre o ciclismo e o olimpismo e as conquistas consecutivas da modalidade. “Temos um novo ciclismo, mais internacional, mais inteligente e mais diversificado. Temos orgulho em contribuir para o olimpismo português. Quebrámos uma barreira em Londres, com a qualificação do BTT, e quebrámos nova barreira com o apuramento do Ciclismo de pista para Tóquio, com a Maria Martins”, assinalou.

 

2020-11-17 - 19:15:28

 


 

Voltar