Facebook Youtube IPDJ Comité Olímpico Comité Paralímpico Confederação do Desporto Fundação do Desporto Centro de Alto Rendimento UCI UEC Jogos Santa Casa
Início UVP-FPC Equipa Portugal Estrada BTT BMX Pista Escolas Ciclocrosse Ciclismo para Todos
Filiações 2019
Área do Utilizador
Parceiros Oficiais
Vantagens Filiados
Vantagens Filiados
Calendários
Calendário Nacional FPC
Calendários Regionais
Info. Desportiva
Documentos/Formulários
Formação
Formação
Centros BTT
Documentação
Centros BTT
Regulamentos
Gerais
Estrada
Pista
BTT
BMX
Ciclocrosse
Trial
Escolas de Ciclismo
Ciclismo para Todos
Antidopagem
Arbitragem
Disciplina
Contactos
UVP-FPC
Associações
Organizador Provas
Notícias
 
Ricardo Mestre resiste ao poderio de Joni Brandão
Estrada
Ricardo Mestre (W52-FC Porto) é o vencedor do 29.º Grande Prémio Jornal de Notícias Leilosoc. Joni Brandão (Efapel) ganhou a última etapa, 187,2 quilómetros, entre o Porto e Gondomar, mas Mestre e a W52-FC Porto geriram a vantagem para levar a camisola amarela final.


As derradeiras pedaladas do Grande Prémio Jornal de Notícias foram emocionantes, com múltiplos ataques, desde o início, mas com a W52-FC Porto, demonstrando confiança nas capacidades de Ricardo Mestre, a ter o sangue-frio e a capacidade tática para segurar a camisola amarela.

A equipa portista controlou a corrida, colocando António Carvalho nas movimentações mais perigosas da fase dura e montanhosa da viagem, servindo de travão às investidas da Efapel, do Sporting-Tavira e da Rádio Popular-Boavista. Isso fez com a que única fuga com alguma margem acontecesse já depois da segunda meta volante, com 120 quilómetros percorridos.

Essa fuga juntou cinco elementos em cabeça de corrida: António Gómez (Rádio Popular-Boavista), Tiago Machado e Álvaro Trueba (Sporting-Tavira), Jesús del Pino e Filipe Cardoso (Vito-Feirense-PNB). Com a vantagem do quinteto a chegar perto dos três minutos, a W52-FC Porto colocou-se ao trabalho e foi reduzindo a diferença.

O cansaço acumulado por uma etapa de ataques sucessivos, reduziu o grupo principal a 16 elementos. Aí, a Efapel, que já havia conseguido que Joni Brandão vencesse as duas metas volantes, bonificando 6 segundos, assumiu a cabeça do grupo do camisola amarela, endurecendo a corrida para preparar uma última investida de Joni Brandão.

Foi isso que aconteceu. O chefe de fila da equipa ovarense disparou a 2 quilómetros da chegada, nas rampas mais exigentes de aproximação à meta. Joni Brandão passou por António Gómez, último resistente da fuga, e cortou a meta isolado, averbando a terceira vitória de etapa consecutiva. O espanhol da Rádio Popular-Boavista ainda conseguiu o segundo posto, a 6 segundos. Daniel Silva, também dos boavisteiros, foi terceiro, a 8 segundos, a mesma desvantagem registada por Ricardo Mestre, quarto classificado. O algarvio defendeu, assim, o primeiro lugar.

Ricardo Mestre concluiu o 29.º Grande Prémio Jornal de Notícias com 20h33m24s de corrida, menos 36 segundos do que Joni Brandão, segundo classificado, e menos 59 do que Alejandro Marque (Sporting-Tavira), terceiro.

“Sabíamos que seria muito difícil. Eu e a equipa fizemos o que estava ao nosso alcance, atacando a corrida desde o quilómetro zero. Não tivemos medo de encarar a prova com mentalidade de vencer. Agradeço aos meus companheiros que trabalharam e batalharam o dia todo, confiando em mim a 200 por cento. Não vivo obcecado com uma corrida por ano. Sempre que corro tento estar num nível de forma aceitável”, disse Joni Brandão, no final da tirada.

O triunfo de Ricardo Mestre demonstra que o ciclismo é o mais individual dos desportos coletivos. A W52-FC Porto foi a equipa que jogou a melhor “pedra” no tabuleiro da corrida, lançando Ricardo Mestre para a fuga que viria a ser decisiva – no primeiro setor da terceira etapa – e o algarvio mostrou ser o mais forte dos oito corredores que, nessa tirada, conquistaram mais de dois minutos de vantagem ao grosso do pelotão. A partir daí, os portistas aguentaram as respostas de toda a concorrência para vencerem este Grande Prémio pelo quinto ano consecutivo.

“Foi uma vitória muito difícil, porque o Joni Brandão mostrou estar muito forte. Eu tenho a felicidade de estar na melhor equipa. Eu e os meus companheiros, conseguimos controlar a corrida. Todas as etapas tiveram momentos importantes, mas a etapa de duplo setor foi a mais decisiva”, reconhece Ricardo Mestre.

Além da vitória individual, a W52-FC Porto impôs-se por equipas. Joni Brandão conquistou as classificações dos pontos e das metas volantes. Bruno Silva (Efapel) foi o melhor trepador e Rafael Lourenço (UD Oliveirense/InOutBuild), oitavo da geral, leva para casa a camisola da juventude. Tiago Machado foi o mais combativo da última jornada.

Classificações completas: Clique Aqui
2019-06-10 - 17:17:00
Partilhar Facebook
« Voltar
 
 
Ciclismo Vai Escola
Inscrições Online
História do Ciclismo
História do Ciclismo
Marcos Históricos
Palmarés das Corridas Portuguesas
Volta a Portugal
PNED
Lojas Oficiais
Redes Sociais
Site desenvolvido por: Cyclop Net - Desenvolvimento de Sites Profissionais