UCI UEC Comité Olímpico Comité Paralímpico Confederação do Desporto IPDJ Fundação do Desporto Centro de Alto Rendimento Plano Nacional de Ética no Desporto
Início UVP-FPC Equipa Portugal Estrada BTT BMX Pista Escolas Ciclocrosse Ciclismo para Todos
Ciclismo para Todos
Inscrições 2017
Filiações Competição
Filiação Competição 2017
Filiações Comissário
Renovação
Parceiros Oficiais
Vantagens Filiados
Vantagens Filiados 2017
Calendários
Calendário Nacional FPC
Calendários Regionais
Seguros
Info. Desportiva
Documentos/Formulários
Formação
Centros BTT
Lojas Oficiais
Redes Sociais
Loja Online
Loja Online
Regulamentos
Gerais
Estrada
Pista
BTT
BMX
Ciclocrosse
Trial
Escolas de Ciclismo
Ciclismo para Todos
Antidopagem
Arbitragem
Contactos
UVP-FPC
Associações
Organizador Provas
Notícias
 
Daniela Reis 26.ª em clássica internacional
Equipa Portugal
A corredora portuguesa Daniela Reis foi hoje a 26.ª classificada na Durango-Durango, prova internacional feminina, disputada no País Basco com vitória da ciclista holandesa Annemiek van Vleuten (Orica-Scott).

Do ano passado para este ano, Daniela Reis demonstrou uma grande evolução. Na edição transata da corrida, a ciclista lusa conseguira o 55.º lugar. Hoje foi a 26.ª a cortar a meta, com mais 4m39s do que a vencedora, Annemiek van Vleuten, que foi acompanhada no pódio por Shara Gillow (FDJ Nouvelle Aquitaine Futuroscope) e por Eider Merino (Lointek).

A Equipa Portugal apresentou-se na prova de 113 quilómetros, marcada pelo sobe e desce em média montanha, com seis corredoras. Além de Daniela Reis, chegaram ao fim Celina Carpinteiro, 42.ª, a 7m56s, a sub-23 Soraia Silva, 53.ª, a 8m52s, e a júnior Marta Branco, 64.ª, a 11m20s. Liliana Jesus e Maria Martins não concluíram a prova, devido ao atraso acumulado à entrada para a última volta.

O selecionador nacional, Gabriel Mendes, ficou satisfeito com o desempenho coletivo. “Cumprimos o que tínhamos previsto. Todas as atletas, incluindo as juniores, fizeram os primeiros 93 quilómetros de corrida no pelotão principal, apenas descolando no circuito final, onde encontraram rampas que chegavam aos 20 por cento. Nota-se uma evolução que tem sido contínua. Há que dar mais oportunidades às ciclistas portuguesas de competirem a este nível elevado para que continue a evolução”, considera Gabriel Mendes.
2017-05-16 - 19:02:00
Partilhar Facebook
« Voltar
 
 
FACEBOOK
Inscrições Online
FORMAÇÃO
Passeio em Destaque
Pedalar em Segurança
Jornal
Edição Outubro 2015
Edição Fevereiro 2016
Edição Fevereiro 2017
História do Ciclismo
História do Ciclismo
Marcos Históricos
Palmarés das Corridas Portuguesas
Volta a Portugal
PNED
Site desenvolvido por: Cyclop Net - Desenvolvimento de Sites Profissionais